quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

365 Bênçãos

Em "365 Bênçãos" (Thomas Nelson Brasil, 367 páginas), Max Lucado, autor best-seller com mais de 70 milhões de livros vendidos e que já produziu mais de 70 obras, muitas delas nas listas de mais vendidos em vários países do mundo, apresenta 365 reflexões inspiradoras baseadas em textos bíblicos.

Com seu habitual estilo despojado e criativo, Max Lucado, em "365 Bênçãos", mais uma vez, demonstra sua incrível capacidade de emocionar o leitor através de comentários cheios de sensibilidade e, acima de tudo, fé em Jesus Cristo.

Embora possa ser lido sequencialmente como qualquer livro, "365 Bênçaos" traz a possibilidade adicional de ser utilizado como um guia devocional, auxiliando num programa diário de leituras inspiradoras com base na sabedoria milenar contida nas Escrituras.

No comentário do último dia do ano, Lucado afirma que "Deus não vai deixar que você veja a cena que está distante. Então você deve parar de procurá-la. Ele promete uma lâmpada sobre o nosso pé (Salmo 119.105), não uma bola de cristal para o futuro. Não precisamos saber o que vai acontecer amanhã. Somente precisamos saber que Ele nos conduz e encontraremos graça para nos ajudar quando precisarmos."

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

O Discípulo

O ministério de Juan Carlos Ortiz e o avivamento que os evangélicos de Buenos Aires ali experimentaram chegaram até nós na forma de testemunhos apresentandos por pastores e leigos que lá estiveram. Todos eles são unânimes em reconhecer a atuação do Espírito de Deus plenamente sensível no amor unindo aquele segmento do Corpo de Cristo, no louvor sincero e espontâneo, na obediência ao Senhor Jesus.

Na obra "O discípulo" (Editora Betânia, 173 páginas), Juan Carlos Ortiz nos oferece o privilégio de compartilhar essa experiência de avivamento naquela comunidade cristã. Trata-se de um livro revolucionário que fala francamente do senhorio de Cristo e do amor fraterno entre seus seguidores.

Juan Carlos Ortiz é um escritor sincero e franco; não faz uso de meias medidas. A mensagem que apresenta em O Discípulo é objetiva e direta, viva e penetrante. Não cheira a pó e mofo, como se tirada de um velho compêndio de teologia, esquecido a um canto de uma biblioteca qualquer. Pelo contrário, é fundamentada na Palavra e enriquecida com as inúmeras experiências que o pastor Ortiz viveu com sua igreja.

O tema é o amor: amor fraterno, amor comunitário, amor que une e encobre diferenças de opinião. E esse amor leva a uma compreensão radical e coerente do que seja o discipulado cristão, a função do verdadeiro discípulo na Igreja, o Corpo de Cristo.

sábado, 20 de dezembro de 2008

O Código de Moisés

É possível que perto de 3.500 atrás Moisés tenha recebido o segredo para atrair tudo o que você sempre desejou ? O Código de Moisés foi usado inicialmente para criar alguns dos maiores milagres da história, mas então foi escondido e somente os mais altos iniciados tinham permissão para invocá-lo.

Esta é a tese que James F. Twyman, autor campeão de vendas e "Trovador da Paz" reconhecido internacionalmente, propõe em "O Código de Moisés" (Larousse, 150 páginas), mostrando alguns princípios que podem ser utilizados, segundo o autor, para atrair riqueza, relacionamentos e inspirar a paz e criar um mundo feito de compaixão e amor.


Algo bastante destacado no livro é a diferença entre ego e alma. Para o autor, o ego está constantemente envolvido em tentar obter o que ele crê não possuir, enquanto a alma procura dar tudo o que precisa, percebendo dessa forma que aquelas coisas já estavam presentes dentro da própria pessoa.


Nesse sentido, como o Código foi usado inicialmente para assegurar a liberdade dos israelitas que estavam escravizados no Egito, agora ele pode ser usado para libertar as pessoas dos laços do ego e permitir que as pessoas descubram sua natureza eterna que vem de sua unidade com Deus e que pode levá-las a agir no mundo com o poder e a paixão dEle.

sábado, 13 de dezembro de 2008

Bem-vindo à sabedoria do mundo

Como outras culturas responderam aos mesmos tipo de perguntas que nos incomodam agora ? Podemos encontrar sabedoria em tradições alheias à nossa ? Essas são algumas das questões desafiadoras abordadas por Joan Chittister em "Bem-vindo à sabedoria do mundo" (Thomas Nelson Brasil, 260 páginas).

Joan Chittister é uma voz importante na espiritualidade e na prática beneditina há mais de 30 anos. Autora de best-sellers, colunista e palestrante reconhecida internacionalmente, já recebeu diversos prêmios por seu trabalho em prol da paz, dos direitos humanos, da questão da mulher e da renovação da igreja. Joan é membro das Irmãs Beneditinas de Erie, Pensilvânia, nos EUA.


O livro mostra como cada uma das principais tradições religiosas sugeriu um modelo da busca pelo alimento para o espírito. Cada capítulo da obra são realçadas por sábias e profundas histórias da literatura hinduísta, budista, judaica, cristã e islâmica. Tais escritos são utilizados como reflexões a indagações compiladas pela autora a partir de cartas recebidas de seus leitores.


"Para aqueles que também buscam respostas para perguntas além do aqui e agora de cada um, ofereço as preocupações dos meus leitores como um modelo pelo qual pautar a seriedade do nosso próprio exame de consciência. Neste livro trato da literatura de sabedoria de cada uma das tradições, na esperança de lançar uma nova luz nos novos caminhos das questões universais antigas, porém contínuas da vida.", diz Joan Chittister.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

O sucesso está no equilíbrio

Após trabalhar durante anos com talentos humanos, Robert Wong, palestrante bastante requisitado no mercado e considerado pela The Economist um dos 200 mais destacados headhunters do mundo, resume em "O sucesso está no equilíbrio" (Editora Campus, 158 páginas) aquilo que considera a grande chave do sucesso profissional e pessoal.

Segundo o autor, o equilíbrio é a grande chave do sucesso pessoal e profissional e pode ser conseguido por meio de uma viagem interior, de autoconhecimento. Wong mostra neste livro que a sabedoria não é privilégio dos sábios, surgindo por meio de uma combinação criativa entre as teorias (conhecimento) e práticas (experiência) assimiladas ao longo da vida.

Baseado em sua vivência, combinando três diferentes culturas - a chinesa, a anglo-saxônica e a brasileira - o autor desenvolve o conceito de genuíno interesse e de como viver a vida, em todos os seus pequenos momentos, com inspiração e plenitude.

Neste livro, Robert Wong ensina como equilibrar a vida profissional (o trabalho), a vida pessoal (social e amorosa) e a vida espiritual (valores e religião), para atingir um estado de equilíbrio, sabedoria e iluminação.

sábado, 22 de novembro de 2008

Salomão, o homem mais rico que já existiu

Embora a Bíblia seja citada a todo instante, a sabedoria contida nela é pouco conhecida pela maioria das pessoas. Consciente da riqueza de conselhos que ela encerra, Steven K. Scott, escritor e palestrante na área de realização pessoal e profissional, apresenta em "Salomão, o homem mais rico que já existiu" (Editora Sextante, 173 páginas) valiosos princípios de vida retirados da história de Salomão.

Nascido por volta de 974 a.C., Salomão foi coroado rei de Israel com apenas 12 anos de idade. Segundo o Antigo Testamento, Deus apareceu para ele e ofereceu lhe dar o que quisesse, mas o jovem pediu apenas sabedoria para governar seu povo. Fascinado com tamanha humildade, Deus o transformou no homem mais rico, sábio e vitorioso de todos os tempos.

Salomão agia de acordo com determinadas regras de conduta que foram registradas no Livro dos Provérbios e que devem ser seguidas por aqueles que desejam construir uma vida feliz, íntegra e bem-sucedida. Conheça alguns desses ensinamentos contidos no livro de Steven Scott:
- Para construir uma felicidade duradoura, é preciso desenvolver um coração grato, destruir as sementes da ganância e da inveja e viver com sabedoria;
- O sucesso depende de visão (ter clareza de seus desejos e um plano detalhado para concretizá-los) e esperança (estar seguro de que suas metas serão alcançadas);
- Para obter resultado extraordinário, é necessário agir com dedicação, meticulosidade e honestidade;
- Devemos ter atenção com as palavras que usamos e com nossa capacidade de ouvir e persuadir os outros, pois nossos relacionamentos e negócios dependem muito disso; e
- Precisamos de parceiros com quem possamos compartilhar nossas idéias e que ofereçam conselhos e críticas sempre que necessários.

sábado, 15 de novembro de 2008

A lógica do cisne negro

O que o sucesso do Google e o 11 de Setembro têm em comum ? Segundo Nassim Nicholas Taleb, nascido no Líbano e radicado nos EUA, atualmente decano de Ciências da Incerteza na Universidade de Massachusetts, também auto do best seller Iludido pelo acaso, os dois eventos são exemplos claros de um cisne negro.

Para Taleb, cisne negro é um evento imprevisível, impactante e que é a base de quase tudo sobre o mundo, da ascensão das religiões à vida pessoal. Em 'A lógica do cisne negro' (Editora Best Seller, 458 páginas) o autor retoma temas como sorte, incerteza, probabilidade e conhecimento. Nesta obra, o leitor aprenderá a tirar proveito de cisnes negros e ter outra visão de mundo.

Antes da descoberta da Austrália, as pessoas do Mundo Antigo estavam convencidas de que todos os cisnes eram brancos. Esta era uma crença inquestionável por ser absolutamente confirmada por evidências empíricas. Deparar-se com o primeiro cisne negro pode ter sido uma surpresa interessante para alguns ornitólogocos, mas não é aí que está a importância dessa história.

Essa história simplesmente ilustra uma limitação severa no aprendizado por meio de observações ou experiências e a fragilidade do nosso conhecimento. Uma única observação pode invalidar uma afirmação originada pela existência de milhões de cisnes brancos. Tudo que se precisa é de um único pássaro ou cisne negro.

sábado, 8 de novembro de 2008

Caminhos da Mudança

Seja no campo pessoal ou no profissional as mudanças fazem parte do percurso. É necessário aprender, inovar, modificar atitudes e valores para encontrar o equilíbrio que leva à felicidade.

Em "Caminhos da Mudança" (Integrare Editora, 191 páginas), Eugenio Mussak - um dos principais pensadores da atualidade nas questões relativas ao comportamento humano, e colunista das revistas Você S.A. e Vida Simples - nos oferece reflexões e considerações que nos permitem percorrer a ponte entre as crenças, atitudes e sentimentos.

A leitura de "Caminhos da Mudança" pode ser feita de várias maneiras: na sequência, acompanhando os temas como organizados pelo autor, aleatoriamente, abrindo suas páginas ao acaso ou procurando por temas específicos de interesse imediato. Dividido em quatro partes, o livro reúne 80 textos sobre as mudanças que a humanidade procura implementar ou com as quais precisa aprender a conviver.

Os insights de Eugenio Mussak poderão proporcionar a você fôlego e coragem para trilhar os caminhos das transformações, necessários para seu aperfeiçoamento seja no âmbito profissional ou em sociedade.

sábado, 11 de outubro de 2008

A alegria vem pela manhã

Você já teve um dia ruim ? Uma semana ruim ? talvez um mês ruim ? Ou talvez, Deus nos livre, um ano ruim ? A vida com frequência pode ser devastadora e fazer com que você se sinta derrotado. "Você está demitido!" "É câncer." "Eu quero o divórcio." Quem quer que tenha escrito os versos infantis "Palavras não me atingem!" obviamente nunca escutou uma frase como estas. Embora verbos e vogais nunca possam lhe causar males físicos, eles podem anunciar um período de dor e problema.

Tommy Tenney, missionário cristão e autor de mais de trinta livros, falando por experiência própria e por conhecimento bíblico, explica em "A alegria vem pela manhã" (Larousse, 158 páginas) como transformar uma noite ruim em um dia bom - e não apenas ensinando como sobreviver mas como crescer diante das situações adversas que a vida nos apresenta.


"Em algum ponto, todos precisarão de renovação", escreve Tommy Tenney. "Se estiver quebrado, precisa ser consertado. Se está faltando, perdido ou roubado, precisa ser substituído. Se estiver maculado, espalhado ou destruído, precisa ser restaurado. E o momento é agora, parando de olhar para o passado e jamais desistindo."


Quer você esteja pessoalmente tentando se recuperar de uma crise ou tentando junto com um ente querido sair de uma caverna escura de desastre, voltar do fundo do poço pode ser uma jornada intimidadora, daquelas que normalmente exigem um mapa rodoviário. Essa lição de vida, retirada das páginas da Bíblia, é exatamente o que você precisa.

sábado, 4 de outubro de 2008

40 dias para mudar o mundo

Assim como existem sinais físicos que determinam a saúde e o bem-estar das pessoas, também existem sinais que determinam o quanto um homem ou uma mulher foram transformados. É um sorriso, um simples estilo de vida, compaixão no rosto dos desafortunados, comprometimento para agir com atos de bondade, benevolência, justiça social, lágrimas, palavras.

Em 40 Dias Para Mudar o Mundo (Thomas Nelson Brasil, 317 páginas), o autor best-seller David Jeremiah, pastor da igreja da comunidade Shadow Mountain, em El Cajon, California (EUA), oferece uma guia devocional para uma jornada em busca de uma vida caracterizada pela relevância, entrega, autenticidade, generosidade e compaixão.

O livro é foi escrito a partir da experiência vivida pela comunidade Shadow Mountain em torno da campanha Sinais de Vida, um programa de ensino da Igreja liderada pelo pastor David Jeremiah, com duração de seis semanas e cujo foco é a vida de Jesus, com “sapatos empoeirados, joelhos gastos, mangas arregaçadas, mãos abertas e braços estendidos.”

Ao final do livro, o autor recomenda um programa de leitura visando aproveitar da melhor forma possível Quarenta dias para mudar o mundo, através de uma jornada diária de 40 dias, utilizando a seção “Sinais de Vida” sempre presente ao final de cada capítulo (Sinal de Vida, Versículo de Vida e Vida em Ação) e, se possível, fazendo-o em parceria com outras pessoas.

sábado, 27 de setembro de 2008

Como despertar o melhor das pessoas

Há mais de dois mil anos, Jesus sabia que não poderia realizar sua missão se não tivesse a ajuda de uma equipe. Da mesma forma, qualquer um de nós só consegue implementar suas idéias se elas forem abraçadas por outros que se disponham a levá-las adiante.

O trabalho em equipe é fundamental para fazer as coisas acontecerem e o grande desafio dos líderes é desenvolver o potencial de cada indivíduo e, ao mesmo tempo, criar condições para que pessoas diferentes atuem juntas visando a um objetivo comum.

Em "Como despertar o melhor das pessoas" (Sextante, 156 páginas), Laurie Beth Jones apresenta o estilo de liderança que Jesus usou com seus discípulos para nos mostrar como transformar um grupo heterogêneo em uma equipe eficiente, composta por profissionais entusiasmados e dispostos a fazer um bom trabalho.

Ilustrando sua teoria com exemplos de empresas bem-sucedidas e dezenas de histórias da Bíblia, o livro aborda as estratégias de Jesus para influenciar e motivar seus seguidores, ensinando como aplicá-las para solucionar problemas comuns à maioria dos líderes, como o desinteresse e a falta de comprometimento das pessoas.

Autora (no Brasil já publicou o best-seller Jesus, o maior líder que já existiu), conferencista e consultora de renome nos Estados Unidos, Laurie Beth, traz em “Como despertar o melhor das pessoas” conselhos valiosos que poderão ajudar aqueles responsáveis por liderança de equipes a:
• Despertar o melhor de cada pessoa, deixando cada uma livre para usar seus talentos;
• Fazer sua equipe se apaixonar pelo que faz;
• Melhorar a comunicação entre os membros do grupo;
• Transformar crítica em colaboração;
• Fazer todos assumirem a responsabilidade pelo trabalho;
• Tornar a pirâmide hierárquica mais igualitária e justa.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Automotivação, alta performance

Em “Automotivação, alta performance” (Editora Mundo Cristão, 285 páginas), Zig Ziglar, palestrante motivacional renomado nos EUA e escritor de prestígio internacional, com mais de 25 livros publicados, incentiva o leitor a usar, com paixão e propósito, as ferramentas que podem ativar seu desempenho máximo.

Após construir uma carreira de mentoria junto às maiores corporações do planeta, Zig Ziglar resolveu compartilhar seu segredo, certo de que é possível manter distância de uma vida medíocre.Ele acredita que o conceito de excelência não deve estar apenas no processo corporativo, mas também precisa ser incorporado em nosso estilo de vida. Para tanto, há três pilares fundamentais a serem desenvolvidos.

Paixão, alta performance e propósito são componentes essenciais que merecem nossa atenção diária. Após explicar a importância que cada um deles possui, Zig Ziglar ajudará você a escrever o plano estratégico de sua vida, entender as barreiras naturais com as quais as pessoas deparam e conhecer os hábitos que devem ser desenvolvidos para descortinar os horizontes de sucesso e significado de uma vida com excelência total. Com a palavra, o autor:

“Não acredito que alguém se sinta motivado por muito tempo na vida sem a compreensão plena desses três conceitos. E também não acho que alguém seja capaz de viver uma vida de excelência total se não se sentir motivado a isso.”

domingo, 24 de agosto de 2008

O princípio 4:8

Nossos pensamentos possuem uma incrível capacidade de nos levar para cima ou de nos empurrar ladeira abaixo. Tommy Newberry , um dos principais coaches americanos da atualidade, acredita que devemos concentrar os pensamentos naquilo que nos traz motivação, relacionamentos sadios e satisfação pessoal.

Newberry reconhece que não se trata de um desafio qualquer, e por isso buscou na milenar sabedoria bíblica a fundamentação do pensar positivamente. O objetivo é compreender e utilizar, no dia-a-dia, O princípio 4:8, a fim de deixarmos de ver as coisas com as surradas lentes da negatividade e descobrir que ser feliz é mais simples do que se imagina.

Palestrante e fundador do The 1% Club, organização dedicada a ajudar empresários e suas famílias a maximizarem seu pontencial, tem ensinado o princípio 4:8, baseado no texto bíblico de Filipenses 4:8, que diz “Por último, meus irmãos, encham a mente de vocês com tudo o que é bom e merece elogios, isto é, tudo o que é verdadeiro, digno, correto, puro, agradável e decente.”

Nas páginas de “O princípio 4:8” (Editora Mundo Cristão, 214 páginas) você será desafiado a descobrir, desenvolver e defender o projeto de alegria que Deus tem para cada um de nós, aprendendo como começar de novo, atualizar seu “software da alegria”, eliminar emoções destrutivas, desenvolver imunidade às influências negativas e expressar gratidão excepcional.

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

O livro da transformação

"Não importa o que você fizer, faça-o com profunda percepção, pois então até mesmo as pequenas coisas se tornarão sagradas. Dessa forma, cozinhar ou limpar a casa serão sagrados, serão uma oração. Não importa o que você esteja fazendo, o que importa é como você o está fazendo. “

Osho, autor da frase acima e dos ensinamentos presentes em “O livro da transformação” (Editora Sextante, 158 páginas) foi um dos mais líderes espirituais mais polêmicos do século vinte. Desde a década de 1970, conseguiu capturar a atenção do ocidente, atraindo seguidores mesmo mais de uma década após sua morte, ocorrida em 1990.

Os ensinamentos de Osho desafiam qualquer tentativa de classificação, abrangendo desde a busca individual pelo significado da vida, até as questões sociais e políticas da sociedade moderna. Como faz em “O livro da transformação”, Osho normalmente se utiliza de inspiradoras histórias e parábolas das grandes tradições espirituais.

Os livros de Osho são o resultado de transcrições de palestras e conferências feitas por ele ao longo de 35 anos. Mais informações sobre o autor podem ser encontradas em www.osho.com. Neste site, é possível conhecer também, virtualmente, o Osho Meditation Resort, localizado em Puna, na Índia, conhecido como um dos maiores laboratórios experimentais na área da espiritualidade.

domingo, 10 de agosto de 2008

Buscai as coisas do alto

Encontrar uma meta e manter o passo firme em direção às coisas que estão no Alto é próprio daqueles que sabem superar os desafios e que não se deixam abater diante das dificuldades. Para aqueles que não querem parar nem desanimar diante dos problemas, eis o ensinamento do Padre Léo: é preciso continuar!

Fundador da Comunidade Bethânia (centro de acolhimento para dependentes químicos que tenham o desejo de buscar restauração), Padre Léo, mineiro de Delfim Moreira, era sacerdote da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, autor de sete livros, músico, compositor e apresentador de programas na TV Canção Nova.

Em "Buscai as Coisas do Alto" (Editora Canção Nova, 159 páginas), o autor, falecido em 04 de janeiro de 2007, aos 45 anos, vítima de câncer, nos mostra a importância de encontrar o sentido para a nossa existência e de prosseguir no caminho, mesmo em meio à dor. É no Alto que está a nossa meta e é por ela que devemos lutar.

O livro ensina, ainda, que para alcançar as coisas do alto, precisamos cultivar a paz. E essa paz também é no sentido interior. Ela não significa que você vai estar todo dia alegre, todo dia feliz. O triunfo da paz significa uma conquista; significa que vamos passar por problemas, por dificuldades. Em alguns dias, você vai estar para baixo e não com a mesma disposição de sempre, porque você é humano e precisa colocar o pé no chão, mas os olhos devem estar fixos em nosso alvo, Jesus. Ele é nossa paz, nosso modelo.

sábado, 2 de agosto de 2008

Onde o seu tesouro está

Este livro inspirador (Editora Textus, 202 páginas), escrito por Eugene Peterson, consagrado autor no tema da espiritualidade e professor emérito de Teologia Espiritual no Reagent College, no Canadá, poderá ser útil como incentivo para grupos de cristãos, guiando a reflexão e indicando um caminho para agir para aqueles que acreditam no poder verdadeiro da oração.

“Escrevi para cristãos”, afirma Eugene Peterson , "que desejam agir para mudar o que está errado na sociedade e querem ir direto ao centro do problema, e não apenas fazer pequenos acertos em áreas de importância secundária. Escolhi salmos que deram forma à política de Israel e podem, atualmente, moldar a nossa, e os analisei com seriedade. São orações que moldam a vida nacional. Escrevi para incentivar os cristãos a orarem esses salmos como filhos de Deus que têm a vida eterna, e como cidadãos com responsabilidades diárias no cuidado de sua nação.”

Fundamentado na Bíblia, o livro aborda uma possibilidade de transformação da sociedade atual, por intermédio da “ação fundamental” da oração. Peterson sugere o uso da oração conjunta dos crentes para acabar com o domínio do ego, que deixa nossa sociedade preocupada e limitada. Apresenta reflexões profundas e intrigantes sobre salmos-orações que podem nos ajudar a vencer problemas como hipocrisia, auto-afirmação, auto-suficiência, autopiedade, amor a si mesmo, vida para servir a si mesmo e pensamento voltado para si.

sábado, 26 de julho de 2008

Decifrando o código da alma

Todos nós somos providos por Deus, mas as nossas necessidades, inclinações e personalidades são diferentes. Usando a metáfora do "DNA espiritual", Decifrando o Código da Alma (Editora Cultrix, 160 páginas) o ajudará a avaliar suas próprias qualidades inatas e a encontrar um caminho espiritual que lhe dará apoio em sua busca por uma vida de maior significado, plenitude e mais integrada.

Os autores do livro, Robert Norton e Richard Southern, escreveram sobre um tema que têm vivido intensamente. Ambos passaram por mudanças profundas nas suas vidas.Roberto Norton foi professor de escola primária, bancário e executivo na área de marketing, e hoje é consultor de organizações sem fins lucrativos baseadas na fé. Richard Southern, doutor pela Universidade de Claremont, foi diretor de colégio, gerontologista, executivo da área de marketing, e hoje é também consultor de organizações sem fins lucrativos baseadas na fé.

Se você descobriu a importância da espiritualidade na sua vida, este livro o ajudará a descobrir o que mais se afina com os seus valores e o seu modo de ser. Conhecendo bem as características que são exclusivamente suas e usando os recursos de avaliação presentes na obra, você descobrirá seu tipo espiritual e poderá encontrar respostas para questões bastante profundas em sua vida, a exemplo de:

Quem sou eu? Qual é a minha verdadeira identidade?

O que é importante para mim? Quais são meus valores, meus dons, minhas paixões?

Por que estou aqui? Qual é o meu propósito ou missão na vida?

Qual é o meu destino? Que idéia eu tenho do meu futuro?

Começando de onde estou, como posso chegar aonde quero?

domingo, 13 de julho de 2008

A renovação do coração

Assim como um iceberg, cuja parte que não vemos determina o curso do que enxergamos, o ser humano vive do coração. A parte de nós que impulsiona e organiza nossa vida não é a física. Você e eu possuímos no interior um espírito que foi formado. Ele adquiriu um caráter específico. Isso é válido para todos.

Nossa vida e nossa percepção do mundo agora e no futuro são quase totalmente simples resultado do que nos tornamos na profundeza do ser (espírito, vontade ou coração). De lá vemos o mundo e interpretamos a realidade, fazemos escolhas, partimos para a ação, tentamos mudar o mundo. Vivemos dessa profundidade – a maior parte da qual não compreendemos.

É por isso que em “A renovação do coração” (Editora Mundo Cristão, 308 páginas), Dallas Willard, teólogo, professor da Escola de Filosofia da Universidade do Sul da Califórnia e graduado em Psicologia pela Faculdade William Jewell e em Filosofia e Religião pela Universidade Bailor, onde fez doutorado, defende a necessidade urgente da “transformação do espírito”, um processo divino por meio do qual cada elemento do ser humano se harmoniza com a vontade do Criador.

Em linguagem objetiva, e ainda repleta de sensibilidade, o também autor de A Grande Omissão vasculha os processos e os componentes da natureza humana para propor um discipulado pessoal e o enfretamento sem rodeios à autenticidade da fé. O resultado, segundo ele, fica patente “quando todas as partes essenciais do ser humano são efetivamente organizadas em função de Deus, e por ele restauradas e sustentadas”.

domingo, 6 de julho de 2008

Derrotando os gigantes de sua vida

Os gigantes estão em toda a parte. Na Bíblia, são mais conhecidos como nefilins, adversários temíveis que os hebreus se defrontaram na tão sonhada Terra Prometida. Os gigantes que enfrentamos hoje têm nomes diferentes: medo, desânimo, solidão, preocupação, culpa, tentação, ira, ressentimento, dúvida, procrastinação, fracasso, inveja e tantos outros.

Qual é o gigante que o faz sofrer ? Seja qual for o gigante que o esteja intimidando, sugiro a leitura de “Derrotando os gigantes de sua vida” (Editora Vida, 282 páginas). O autor, David Jeremiah, é pastor-titular da Igreja da Comunidade Shadow Mountain, em El Cajon, Califórnia (EUA), além de presidente da Christian Heritage College e idealizador do programa de rádio Turning Point, com transmissão para mais de 950 emissoras nos Estados Unidos.

Os doze capítulos do livro ensinam que é possível vencer a batalha e conquistar a vitória diante dos gigantes que tentam sabotar nossa felicidade. O segredo é ir para o campo de batalha sabendo manusear bem a artilharia pesada que Deus oferece a todo cristão: a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus; o capacete da salvação e o escudo da fé. Mas, acima de tudo, devemos marchar com o próprio Deus, que sempre faz duas promessas antes de nos mandar lutar contra os gigantes: Ele estará conosco eternamente e sempre nos fortalecerá.

domingo, 8 de junho de 2008

A ciência do sucesso

A física quântica pesquisa o comportamento das partículas que compõem os átomos, dos quais, por sua vez, são compostas todas as coisas e todos os seres, inclusive nós, os humanos. Para os estudiosos dessa área relativamente nova, o que antes era considerado matéria sólida é, na verdade, um complexo de energias pulsantes e vibrantes.

Para a consultora de empresas e palestrante motivacional Sandra Anne Taylor, autora de “A ciência do sucesso” (Larousse, 159 paginas), o contato com a física quântica, 20 anos atrás, mudou completamente sua vida. Através da nova ciência, Sandra Taylor enxergou o enorme potencial de cada individuo ao usar a sua consciência e a sua energia para determinar os resultados e moldar o futuro.

O livro aborda as sete leis universais do sucesso (manifestação, magnetismo, desejo puro, intenção paradoxal, harmonia, ação correta e expansão da influência) e as seis forças pessoais para o sucesso (descarte, consciência, energia, intenção, escolha e amor), além das cinco energias magnéticas do sucesso (confiança, otimismo, propósito, presença e gratidão).

Ao afirmar que o único caminho para o sucesso é viver com uma consciência positiva e bem-sucedida, dando passos concretos (compromisso com a sua meta, estabelecimento de um plano, ação diária e descartar o apego sem interromper a ação), a autora alerta para os dois obstáculos para o sucesso: compromisso com crenças limitadoras e desistir cedo demais.

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Além da lógica

Estávamos numa reunião de trabalho, quando uma colega entra na sala e grita apavorada dizendo que o chão estava tremendo. Fiquei sem entender o que estava acontecendo. Só alguns minutos depois "caiu a ficha". Era um terromoto. Com epicentro na cidade de Sobral, interior do Ceará, os tremores alcançaram cerca de 4.2 e 3.9 graus na escala Richter e repercutiram aqui em Fortaleza, distante 233 quilômetros do ponto de origem do fenômeno.

Estão dizendo que outros tremores acontecerão. Mas esses já ocorridos foram suficientes para lembrar-me que o mundo está cada vez mais interligado. Eventos distantes podem perturbar nossa vida. Por isso, precisamos estar atentos para perceber além daquilo que parecem ser incidentes isolados e independentes. E, se possível, compreendê-los para melhor nos prepararmos para suas eventuais conseqüências.

“Além da lógica” (Summus Editorial, 270 páginas) poderá ajudá-lo nessa busca. De autoria Joseph O´Connor (autor, consultor e instrutor na área de Programação Neurolinguística – PNL) e Ian McDermott (consultor e diretor de treinamento do International Teaching Seminars – ITS), o livro trata da abordagem denominada pensamento sistêmico.

Pensamento Sistêmico é a quinta e mais importante disciplina divulgada na obra The fifth discipline, de Peter Senge, considerada um dos clássicos na área de aprendizagem organizacional. Como uma introdução ao tema,“Além da lógica” ajudará, por exemplo, na compreensão de como o bater das asas de uma borboleta em Miami pode provocar uma tempestade de granizo em Pequim. E, quem sabe, poderá auxiliar-nos também em descobrir o que fazer caso Sobral volte a tremer.

sábado, 10 de maio de 2008

Seis lições para os meus filhos

Procuro sempre lembrar aos meus filhos que não tenho herança para deixar. Alerto para não contarem com qualquer tipo de patrimônio ou bens materiais que possam facilitar a vida deles. Se há algum legado com que eles podem contar é a educação que procuro oferecer-lhes e um testemunho pessoal pautado em valores éticos e humanos.

Se você é pai ou mãe, sugiro que faça o mesmo. Qualquer facilidade a mais na etapa de formação de nossos filhos representará um maior despreparo deles lá na frente. Mesmo que você disponha de muita riqueza para deixar, cuide para que eles “sejam” a fim de que saibam “ter”. E isso certamente começa pelo exemplo pessoal que eles venham a enxergar em seus próprios pais.

“Seis lições para os meus filhos” (Editora Larousse, 159 páginas) poderá ajudá-lo a refletir mais sobre esse tema tão importante, talvez o mais valioso de nossas vidas. O livro é baseado na inspiradora história de Joe Massengale. Nascido e criado em condições de extrema pobreza, incluindo a luta contra a discriminação racial, Joe é hoje um empresário bem sucedido, morando em Beverly Hills, na Califórnia (EUA).

Como o título resume, a maior riqueza de “Seis lições para os meus filhos”, entretanto, são as lições que a vida ensinou a Joe, em especial aquelas que seu pai Hugh lhe ofereceu e que compartilhou com seus filhos. No livro, cada um deles faz suas observações, mostrando como colocaram em prática esses valores simples, mas de extrema importância:

1. Confiança – Acredite em si próprio, e as outras pessoas também o farão;

2. Perseverança – Encontre a energia para continuar tentando, não importa quanto já tenha se esforçado antes;

3. Amor-próprio – O amor-próprio é um compromisso com sua família e – o mais importante – com você;

4. Determinação – Aprenda com suas vitórias, mas preste atenção também ao que os reveses têm a lhe ensinar;

5. Destemor – O medo permanentemente em busca de falhas na estrutura que você está construindo; conserve a solidez de sua posição;

6. Foco – Você é livre para ser a pessoa que quiser; mas tem de trabalhar para isso.

sábado, 3 de maio de 2008

A vida é como a neblina

Recentemente, o ex-jogador Romário resumiu sua atuação em cada partida de futebol que disputava, dizendo que “posso não participar de todas as jogadas, mas nas decisivas eu estou lá aproveitando e marcando gol”. Fiquei pensando no quanto essa frase tem tudo a ver com nossa atitude diante da vida.

Você e eu existiremos para sempre. Não adianta protestarmos dizendo que não pedimos para nascer ou que não gostaríamos de existir. Isso não é uma opção. Nós e Deus estamos no Universo para permanecer eternamente, sejam como amigos, sob os termos divinos, ou como inimigos.

Entretanto, essa condição eterna se dará e é estabelecida nesta vida, passageira como ela é. Esse é o mistério da vida. Uma eternidade decidida nesta existência que é absolutamente temporária. Por isso, precisamos saber como aproveitar bem estes momentos transitórios que definirão nossa eternidade.

Com suas 31 meditações baseadas na Bíblia, “A vida é como a neblina” (Editora Mundo Cristão, 140 páginas), poderá ajudar-lhe em conhecer melhor a orientação divina para que você desfrute com sabedoria a neblina da sua vida. O livro é de John Piper, pastor presidente da Igreja Batista Bethlehem, em Mineápolis (EUA) e autor cristão dos mais renomados.

John Piper possui uma sólida e diversificada formação, com estudos em Literatura no Wheaton College e doutorado em Novo Testamento na Universidade de Munique, na Alemanha. Somado à sua vasta experiência pastoral, Piper, em “A vida é como a neblina”, nos oferece um guia precioso para reflexão, com a relevância e profundidade que o tema requer.

sábado, 26 de abril de 2008

Sucesso sem esforço

O título é esse mesmo que você está vendo. Reconheço que é difícil aceitar algo diferente da necessidade de muito trabalho para explicar o caminho do sucesso. Peço que, por um momento, suspenda qualquer julgamento. O fato de que nunca experimentamos ou chegamos a ver algo não significa que é inverossímil.

“Sucesso sem esforço” (Editora Cultrix, 216 páginas) é de autoria de Fred Gratzon (empresário e, como ele próprio afirma, o homem mais preguiçoso dos EUA) e de Lawrence Sheaff (pintor, designer gráfico, arquiteto e filósofo), responsável pelas criativas ilustrações do livro cuja abertura avisa: “cuidado, este livro contém idéias que podem ser prejudiciais ao seu modo de vida atual”.

Gratzon defende que devemos encarar o trabalho como algo que é absorvente, inspira paixão e é divertido. Somente assim haverá comprometimento. E quanto maior o comprometimento, mais profundo e poderoso será o conhecimento adquirido, chave para a descoberta de soluções inteligentes para os problemas e melhor aproveitamento das oportunidades.

Em alguns instantes, “Sucesso sem esforço” é provocador. Leva-nos a refletir sobre qual será nossa vocação na vida. Por vocação, entenda-se aquilo que oferece os meios para maior crescimento, sucesso e felicidade possíveis de uma pessoa. Além de ser o caminho pelo qual alguém oferece sua maior contribuição para o mundo.

A motivação e as idéias principais da obra são reveladas no último capítulo. Fred Gratzon, por volta de 1968, teve um encontro com o Yogue Maharishi Mahesh e ficou profundamente interessado em conhecer a técnica denominada de Meditação Transcendental, divulgada pelo guru indiano, da qual a partir dali se tornaria um praticante e propagador.

sábado, 19 de abril de 2008

Escrever melhor

Sempre estive ligado à escrita. Na escola, freqüentemente, o grande prazer era desenvolver um tema e escrever a última frase dentro do limite de linhas estabelecido. Ao longo de mais de 30 anos de vida profissional, não foi diferente. As inúmeras atividades exercidas têm demandado, cada vez mais, o ofício de escrever.

No início de 2008, algo de inusitado aconteceu. Bateu uma vontade enorme de escrever por prazer. Completamente espontâneo. Nada de tarefas escolares. Sem exigências profissionais. Somente o deleite de registrar pensamentos e experiências do cotidiano. E, se possível, compartilhar algo relevante também para outras pessoas.

A leitura de “Escrever melhor” (Editora Contexto, 221 páginas) veio como um passo na preparação do novo hobby. O livro é de autoria de Dad Squarisi (editoria de opinião do jornal Correio Braziliense, comentarista da TV Brasília e professora de edição de textos do Centro Universitário de Brasília) e de Arlete Salvador (jornalista com atuação em alguns prestigiosos órgãos de imprensa do país, como a revista Veja e os jornais O Estado de São Paulo e Correio Braziliense).

Dad e Arlete nos guiam na arte de ourives do texto. Escrever exige inspiração, porém muito mais transpiração. O texto, como o diamante, só brilha depois de muito apanhar. Nesse sentido, passar a limpo é a segunda etapa do processo de criação de qualquer material escrito. E a primeira dica é tornar a frase objetiva e clara, deixando-a mais curta com o uso de pontos.

sábado, 12 de abril de 2008

Os seis chapéus do pensamento

Boa parte de nossas vidas passamos em reuniões. Pior do que isso é constatar que a maioria é improdutiva e desperdiçam nosso precioso tempo. Se você trabalha numa grande empresa, onde tudo se discute e define nesses encontros, sabe do que estou falando. Por isso, precisamos fazer algo para melhorar a qualidade das reuniões que participamos.

“Os seis chapéus do pensamento” (Editora Sextante, 191 páginas) poderá lhe ajudar. O livro é de Edward de Bono, médico, psicólogo, professor das universidades de Oxford, Cambridge, Londres e Harvard, além de autor renomado de mais de 62 livros traduzidos para 37 idiomas, dentre eles “Pensamento Paralelo” e “O uso do pensamento lateral”.

Em “Os seis chapéus do pensamento”, o professor De Bono apresenta o método mundialmente consagrado de tornar o debate de idéias mais organizado, rápido e produtivo. A cor de cada um dos chapéus utilizado no método simboliza um modo de pensar específico que guia as pessoas até a conclusão da análise que pretendem fazer.

Estou começando a utilizar o método dos Seis Chapéus do Pensamento. Nesse início, já constatei que, ao usarem simultaneamente o mesmo chapéu, as pessoas olham para o problema com o mesmo enfoque e expõem suas idéias de modo construtivo e sinérgico, de acordo com o que cada cor estabelece:

1. Chapéu branco – Objetividade e neutralidade; mostra fatos e números;
2. Chapéu vermelho – Sentimentos e intuição; apresenta a visão emocional;
3. Chapéu preto – Cautela e espírito crítico; aponta os riscos de uma idéia;
4. Chapéu amarelo – Otimismo e esperança; revela o pensamento positivo;
5. Chapéu verde – Crescimento fértil; sugere criatividade e mudanças;
6. Chapéu azul – Visão geral; refere-se à reflexão sobre o próprio pensamento.

domingo, 6 de abril de 2008

O sucesso é mais simples do que você pensa

É inegável que a idéia do sucesso como resultado de muito esforço está profundamente arraigada em nossa cultura. Talvez seja por isso que relutei tanto em comprar livros que questionassem esse paradigma. Mesmo tendo lido alguns, reconheço que ainda os vejo com certa desconfiança. Afinal, mudanças em modelos mentais não acontecem de maneira tão rápida, não é mesmo ?

O livro (Editora Sextante,168 páginas) é de autoria de Ernie Zelinski, consultor e conferencista especializado na área de motivação e criatividade. Autor de diversos livros, entre eles Levando a vida numa boa, Ernie escreve sobre o que acredita e vive. Trocou o seu emprego de engenheiro há 20 anos pelo desafio de construir um estilo de vida mais prazeroso e focado na satisfação pessoal. Pelo visto deu certo. Atualmente, ele trabalha de duas a quatro horas por dia e tira férias várias vezes por ano.

Caso você também tenha alguma restrição a esse tipo de assunto, asseguro que a leitura de “O sucesso é mais simples do que você pensa” será um exercício de superação de preconceitos. Mais do que isso, o livro permitirá uma auto-reflexão em torno de seus objetivos, paixões e do senso de urgência para colocar em prática, se possível ainda hoje, suas verdadeiras prioridades.

quarta-feira, 19 de março de 2008

Criando raízes

Confesso que quando a atendente me disse que o médico iria se atrasar cerca de uma hora para a consulta eu fiquei chateado.Porém, lembrei-me de que ali perto tinha uma livraria, onde eu poderia transformar aquela espera em algo mais agradável. E lá, casualmente, encontrei “Criando raízes” e ainda recebi novamente a lição de que tudo que nos acontece pode ser acolhido como uma oportunidade de aprendizagem e crescimento pessoal.

O livro (Editora Sextante,140 páginas) é de autoria de Philip Gulley, escritor, palestrante e pastor da Sociedade dos Amigos, em Indianópolis (EUA). Conhecido por suas histórias cativantes e inspiradoras, Gulley é também autor de “Tudo tem seu tempo”, escrito no mesmo estilo e baseado também nas suas experiências de infâncias vivenciadas no pequeno condado de Marion, em Indiana.

A primeira parte de “Criando raízes” conta histórias de pessoas interessantes que fizeram parte da infância de Philip Gulley, como o vizinho Dr. Gibbs, a cliente (de entrega de jornais) Sra. Stanley e o recolhedor de lixo Dr. Foster ou, simplesmente, Doc. Na segunda parte, Gulley narra episódios protagonizados por sua família, incluindo sua esposa Joan e os filhos Spencer e Sam.

Se você sente que está precisando refletir um pouco mais sobre sua vida e avaliar se está dando o devido valor àquelas coisas pequenas, mas essenciais, e tratando aqueles que lhe rodeiam com o respeito e o carinho que merecem, “Criando raízes”, de Philip Gulley, poderá ser um prazeroso e profundo guia nessa busca pessoal.

segunda-feira, 10 de março de 2008

A grande omissão

“O maior desafio que a Igreja enfrenta hoje é a formação de discípulos autênticos de Cristo”. O autor dessa frase e também do livro, Dallas Willard, é alguém pessoalmente envolvido com essa questão central para a fé cristã. Dallas Willard é professor da Escola de Filosofia da Universidade do Sul da Califórnia, autor de publicações referenciadas no tema da espiritualidade (A Conspiração Divina, Ouvindo Deus, Renovação do Coração, etc.) e de obras filosóficas nas áreas de epistemologia e filosofia da mente e da lógica.

O livro (Editora Mundo Cristão, 214 páginas) é uma coletânea de artigos publicados em revistas e jornais do meio cristão norte-americano, tendo como eixo principal a temática do discipulado. Segundo Willard, o termo discípulo aparecer mais de 250 vezes no Novo Testamento, enquanto “cristão” ocorre apenas três vezes. O Novo Testamento, portanto, é um livro escrito por discípulos, que fala sobre discípulos e para discípulos de Jesus Cristo.

Dallas Willard é enfático quando afirma que, ao longo da história, a Igreja permitiu duas omissões à Grande Comissão proferida por Jesus (Mt 28.20): “omitimos a tarefa de fazer discípulos e levar as pessoas a serem aprendizes de Cristo e omitimos, por necessidade, o passo de acompanhar nossos convertidos num treinamento que os levará, cada vez mais, a fazer o que Jesus ordenou.”

Abaixo, alguns pensamentos recorrentes ao longo do vinte capítulos do livro, dividido em quatro partes: Aprendizes de Jesus, A Formação Espiritual e o Desenvolvimento do Caráter, O Discipulado da Alma e da Mente e Livros sobre a Vida Espiritual - Visões e Práticas:

- O preço da falta de discipulado é a ausência de paz duradoura, de uma vida inteiramente imbuída de amor, da fé que considera tudo à luz do controle absoluto de Deus visando ao bem e do poder de fazer o que é certo e resistir às forças do mal;
- Salvação sem obediência produz “cristão vampiro”, caracterizado como aquele que gostaria de receber um pouco de sangue de Jesus, mas não quer ser seu aprendiz nem ter seu caráter;
- Em nossa cultura em geral e também entre os cristãos, Jesus Cristo é automaticamente desassociado do brilhantismo ou da capacidade intelectual;
- Como discípulos (literalmente alunos) de Jesus o objetivo dos cristãos é aprender ser iguais a Ele, através de um processo que envolve (i) a aceitação constante dos problemas diários, (ii) interação com o Espírito de Deus em cada um e (iii) a prática das disciplinas espirituais;
- O esforço devidamente direcionado, determinado e contínuo é a chave para as chaves do reino e para o poder e o descanso no ministério e na vida que essas chaves abrem para os cristãos;
- As disciplinas espirituais são atividades que estão ao alcance do cristão e que os permitem fazer aquilo que não são capazes de fazer por um esforço direto;
- A formação espiritual se refere ao processo de moldar o espírito humano e lhe dar um caráter definido, em conformidade com o Espírito de Cristo;
- Graça é o oposto de mérito e não de esforço; na verdade, nada inspira e intensifica mais o esforço que a experiência da graça; mas não é possível tornar-se semelhante a Cristo sem ações enérgicas e deliberadas da parte do cristão;
- A visão de Deus guarda a humildade; ver Deus como ele é de fato permite que vejamos a nós mesmos como somos realmente;
- O espírito humano é, em essência, o que se chama hoje de “vontade”, a capacidade de fazer escolhas e tomar decisões, e aquilo que na Bíblia e na tradição é chamado de “coração”;
- A atitude prioritária e mais fundamental que podemos tomar é manter Deus diante de nossa mente;
- O indivíduo pode desejar e, com freqüência, deseja ser bom e fazer o que é certo, mas está preparado, está programado para fazer o mal; é o que ele está pronto para fazer sem pensar;
- A tradição e o pensamento evangélico tornam acessível para a humanidade um Salvador verdadeiro que pode estar presente no mundo de hoje para dar vida plena e abundante;
- A motivação vem da visão, e a visão deve vir da pregação do evangelho do reino como um convite absolutamente abrangente para viver sob o governo de Deus;
- Observar com atenção a maneira de Jesus usar o raciocínio lógico pode fortalecer a confiança do cristão nEle como mestre dos centros do intelecto e da criatividade, incentivando a aceitá-lo como mestre de todas as áreas das quais o cristão participa na vida intelectual.

quinta-feira, 6 de março de 2008

As leis do pensamento

O livro é de autoria do Bispo E. Bernard Jordan, tido como um grande profeta moderno. Entre outras antevisões, em 1989 ele previu a chegada do furacão Katrina, que teve efeito devastador sobre a população de New Orleans e nas praias da Flórida em 2005. Bispo Jordan, muito procurado por governos para prestar consultorias, é também fundador do Ministério Zoe (vida, em grego), em Nova York (EUA).

O cerne da mensagem passada pelo Bispo Jordan nesse livro é que os nossos pensamentos são responsáveis por aquilo que realizamos. São eles, na opinião do Bispo, que dirigem as ações, determinam as oportunidades que surgem na vida e afetam as tentativas de se concretizar algo. Portanto, se você deseja mudar sua vida, deve alterar seus pensamentos.

Como uma síntese do livro (Larousse, 160 páginas), transcrevo alguns pensamentos presentes ao longo dos seus catorze capítulos, entitulados LEIS:

- Vivemos em um universo de EVOLUÇÃO; você sempre está se transformando, em evolução;
- O ESPÍRITO é o elemento invisível que alicerça todas as coisas neste plano físico;
- A chave para manifestar as boas coisas nas nossas vidas é concentrar a ATENÇÃO de maneira poderosa e persistente naquilo que se deseja;
- O objetivo sem PAIXÃO torna-se pouco mais que completar os passos de uma lista de coisas a fazer;
- Quando você assume um COMPROMISSO, Deus começa imediatamente a agir em seu interesse;
- Suas PALAVRAS e pensamentos podem provocar a vida ou a morte;
- A manifestação física (aquilo que acontece na prática) é meramente o efeito posterior tardio que já teve lugar no mundo invisível da MENTE;
- Enquanto você buscar o que deseja fora de si mesmo, sua JORNADA não vai se completar;
- Deus nunca eleva a voz; para ouvi-Lo, em UNIDADE com Ele, você precisa aquietar a mente e ficar em paz;
- Não cometa o erro de deixar Deus fora de cena; Deus precisa estar por trás de tudo que você faz, ou você navegará rumo aos recifes; sem a visão e objetivo divino, não há DIREÇÃO;
- Deus favorece a HUMILDADE, não o orgulho infundado;
- A manifestação real é reflexo de sua FÉ; a fé é necessária para agradar a Deus, e sem agradar a Deus nada do que você desejar é possível;
- Se você não tiver um PLANO para criar as suas metas, você falhará;
- Um dos fundamentos do SISTEMA divino é que Deus espera você aja quando não há meios visíveis de sustentação.

segunda-feira, 3 de março de 2008

Um amor que vale a pena

De autoria de Max Lucado, “Aprenda a compartilhar um amor que vale a pena” (CPAD, 214 páginas) é mais uma excelente obra devocional cristã do pastor da igreja Oak Hills Church of Christ, em San Antonio Texas (EUA), e escritor consagrado com mais de 50 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo.

A obra analisa a causa das dificuldades que o ser humano encontra em oferecer amor, aceitação, perdão, paciência e bondade para as pessoas. Para Lucado, a razão desse esforço, muitas vezes frustrante, é a falta de um primeiro passo essencial: sentir-se amado, de forma pessoal, poderosa e apaixonada por Deus. Esse é o tema do primeiro capítulo.

Os demais quinze capítulos do livro abordam as características do amor ágape, de acordo com a bela e profunda descrição feita pelo apóstolo Paulo (1 Co 13.4-7). Lucado nos lembra que somente Cristo é capaz oferecer o amor perfeito que

“... é paciente, é benigno; não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”

Bem no estilo de Lucado, o livro traz inúmeras histórias pessoais inspiradoras, enriquecidas com passagens bíblicas. Ao final, ainda apresenta um Guia de Estudos, elaborado por Steve Halidday.

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Os dez segredos da riqueza abundante

O livro (Editora ISIS, 172 páginas), de Adam Jackson, faz parte de uma série que inclui também “Os dez segredos do amor abundante” e “Os dez segredos da felicidade abundante”.

Escrito na forma de uma parábola, “Os dez segredos da riqueza abundante” revela princípios relacionados com riqueza e prosperidade, com base na sabedoria chinesa. Jackson afirma que “ao contrário de outras parábolas, os personagens baseiam-se em pessoas reais, ainda que tenham seus nomes intencionalmente modificados”.

Segundo Adam Jackson, a riqueza abundante não é só uma questão do tamanho da conta bancária ou da quantidade e valor das posses; tem a ver com os meios suficientes para se viver uma vida que se deseja. E é justamente quando cada um de nós começa a assumir a responsabilidade pela própria vida que se percebe as mudanças que sinalizam a realização dos sonhos individuais.

Resumidamente, são esses os dez segredos da riqueza abundante, na visão de Adam Jackson:
1. O poder das crenças subconscientes – as pessoas não conseguem o que são capazes de conseguir, mas o que acham que são capazes;
2. O poder do desejo – não é possível alcançar nada que valha a pena na vida, sem um desejo fervoroso por alcançar;
3. O poder da definição de propósitos – é possível ter tudo o que se quer na vida, desde que se saiba exatamente o que se quer e por quê;
4. O poder de um plano de ação organizado – se você quer ter certeza que atingirá seus objetivos, tem que desenvolver uma estratégia, um plano de ação organizado;
5. O poder do conhecimento especializado – ninguém que tenha acumulado riqueza em abundância o tem feito sem um conhecimento especializado para um fim prático;
6. O poder da persistência – o sucesso não é o resultado de um esforço, mas da acumulação de muitos esforços;
7. O poder do controle das despesas – a riqueza não está determinada pela quantidade de dinheiro que se ganha, mas pelo quão bem se vive com o que se ganha;
8. O poder da integridade – “o que ganha um homem, se conquista o mundo inteiro, mas perde sua alma” ?
9. O poder da fé – antes de começar qualquer projeto, pergunte a si mesmo: “o que eu faria se soubesse que não posso fracassar ?”
10. O poder da caridade – a abundância raramente se consegue sem a ajuda de outros ou sem que se preste ajuda aos outros.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Os segredos da mente milionária

Venho de uma família, pelo lado paterno, que possui um incrível dom para trabalhar em seus próprios negócios. Cresci vendo avô, pai, tios e primos empreendendo no ramo de panificação, gastronômico e serviços. Sou um dos poucos que tomou o rumo de ser empregado. Considerando que há mais de trinta e um anos, como dizem meus parentes, “trabalho para os outros”, chego a ser um estranho nesse ninho de empreendedores.

Mas algo que nunca consegui entender direito foi por que, a despeito da inegável competência que minha parentela tinha para a atividade comercial, muito deles não estão numa situação financeira confortável. À exceção de poucos, é incrível como a maioria seguiu uma trajetória que, com a mesma velocidade que conseguia ganhar dinheiro, também gastava.

Fico pensando nas razões para isso. Parece que a necessidade de saber ganhar dinheiro é tão importante quanto estar preparado para administrá-lo corretamente. E isso, como se sabe, só acontece a partir de um esforço de crescimento no plano pessoal. Em outras palavras, para TER você precisa SER. Caso contrário, se tornará muito difícil manter ou até aumentar o que se tem.

Esse também é um dos princípios que estão no “Os segredos da mente milionária” (Editora Sextante, 176 páginas), de autoria de Harv Eker, dirigente da empresa de treinamento pessoal Peak Potential Training, nos Estados Unidados, tendo realizado seminários e cursos sobre o assunto para mais de 500 mil pessoas.

Para os mais céticos, logo no início do livro Harv relata sua própria experiência, de falido a milionário em apenas dois anos e meio, asseverando que os princípios que ensina aconteceram na sua vida e na de milhares de pessoas que participaram de seus seminários.

A obra é divida em duas partes. Na primeira, Eker expõe o que chama de Processo de Manifestação: pensamentos conduzem a sentimentos; sentimentos conduzem a ações; ações conduzem a resultados. Daí a importância de revermos nosso modelo mental em relação à questão financeira, substituindo idéias arraigadas que prejudicam nosso desempenho nessa área.

Na segunda parte do livro, Harv Eker relaciona seus 17 arquivos de riqueza que, na visão do autor, são os princípios que distinguem as pessoas com maestria na arte de ganhar dinheiro daquelas, como a maioria de nós, que ainda precisam se desenvolver bastante nessa área tão importante para nossas vidas.